Lorotas para futuros ex-ex-fumantes

Depois de passar três dias estressantes, onde tudo que eu queria estava dentro de uma carteira branca de papel, abro o jornal e vejo uma matéria contra o tabagismo. Ora, vejam só! Milhões de pessoas, com suas vidas hoje perfeitas, declamando suas versões de “como parei de fumar”. Uns dizem que só conseguiram abandonar o vício com ajuda médica. Outros que Jesus os libertou. Outros que pararam porque usaram cicletes especiais anti-fumo..lorotas que o povo conta!

Outro dia estava fumando na entrada do prédio em que trabalho, e a faxineira me repreendeu perguntando o que eu estava fazendo. Não era óbvio? Ela ainda contou a sua “triste” história de ex-fumante e disse que hoje não fuma mais porque Jesus a libertou. Minha mãe diz que fumar é coisa de marginal. Meu professor de Fundamentos do Jornalismo diz que eu sou meiga demais “pra isso e ainda deixa o cabelo fedendo”. Um cara do trabalho falou, um dia desses, que deixa a pele feia. A cobradora do ônibus perguntou se eu enfrentava algum problema, se eu estava triste, afinal “não é normal alguém tão novinha quanto você, ainda mais uma menina, fumar”. E por aí vai…

Estava vendo as dicas dadas pelo jornal para parar de fumar. Eles citaram coisas como telefonar para alguém na hora que bater a vontade, comer maçã, beber água gelada, chupar gelo, correr, comer doce, não beber café, não tomar bebidas alcoólicas, parar de freqüentar barzinhos por um tempo e parar de fazer tudo que antes me impulsionava a fumar. Agora pergunto: a alternativa é ficar trancada dentro de casa, sem nenhuma moeda por perto, com o telefone na mão, comendo desesperadamente maçãs e correndo que nem doido com uma pedra de gelo na boca? Ah, e rezando? Desisto antes mesmo de tentar.

Acredito que tudo na vida, inclusive parar de fumar, é fruto de uma decisão. Se quisermos conseguir alguma coisa é só colocar esse objetivo como meta e dar-se um motivo plausível para alcançá-lo. Simples. Sem precisar se converter a seitas, sem precisar engordar no mínimo 2 kg, sem gastar milhões na conta telefônica, sem parar de freqüentar ambientes divertidos, sem parecer um retardado…

Não digo que é fácil. Quem fuma sabe que a dependência é tanto física quanto psicológica, e que N fatores, coisas simples do dia a dia, nos estimulam a acender mais um cigarro. Mas continuo firme em acreditar que a decisão é a arma mais poderosa que temos. Não só decisão em parar de fumar, mas em tudo na vida.

Anúncios

Sobre Colérica

Nasci nos anos 80 - sim, sou maior de idade, mesmo que não pareça! Estudante de jornalismo (típico caso onde se prefere seguir um sonho a buscar dinheiro). Alheia a novelas, filmes cult, comidas extravagantes e palavras difíceis. Sou fascinada pelo Egito, viciada em batata frita, minha cor favorita é o amarelo e meu cabelo me odeia. Eu tinha uma gatinha, mas ela morreu envenenada. O que mais há para se falar de uma garota?Ah, quase ia esquecendo: sou irônica. O que eu espero do mundo? Menos Vogue e mais Dostoiévski, se é que me entende...
Esse post foi publicado em Artigos. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Lorotas para futuros ex-ex-fumantes

  1. Cléo Ricardo disse:

    Muito bom. Exatamente isso. Como fumante passo por isso. O povo acha que vai poder fazer um fumante deixar de fumar por que está sendo alvo de uma campanha tão idiota quanto o próprio ato de fumar. Ainda bem que minha companheira não faz coro com essas pessoas, embora não seja fumante!

    Com certeza, a única coisa capaz de fazer um fumante parar de fumar é sua própria decisão. A minha ainda não chegou. Bom texto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s